Telhas solares unem sustentabilidade, estética e tecnologia - Smart City Laguna
Related content
8/11/2018 Telhas solares unem sustentabilidade, estética e tecnologia

Não é de hoje que as empresas estão inovando no quesito sustentabilidade, tecnologia e estética. Unir sustentabilidade e beleza é um dos desafios do mercado. Por isso, com o objetivo de solucionar os “problemas estéticos” quando o assunto são as placas solares convencionais, as empresas italianas Area Industrie Ceramiche e REM aprimoraram a tecnologia e desenvolveram a Tegola Solare. O produto é uma telha de cerâmica fotovoltaica, que se integra à estrutura da casa ou edifício.

As telhas são feitas de cerâmica, possuem quatro células fotovoltaicas embutidas e a fiação segue embaixo do telhado para o conversor. As empresas fabricantes revelam que, além de ser capaz de substituir os painéis para captação de luz do sol, a Tegola Solare pode gerar cerca de 3kw de energia em uma área instalada de 40m², ou seja, um telhado completo ou parcialmente coberto já poderia suprir as necessidades energéticas de uma casa. O grande impasse é que o valor estimado das telhas ainda é elevados quando comparados com as placas convencionais.

Instalação
A instalação das telhas fotovoltaicas é feita normalmente, como a de qualquer outro telhado, e a área que captará a luz solar depende da necessidade do imóvel. Se houver a necessidade de substituição de alguma dessas peças, o processo também é simples, devido ao aspecto modular do telhado.

Smart City Laguna
As cidades do futuro, chamadas de smart cities, agregam em seu planejamento a sustentabilidade e a tecnologia como formas de melhorar a qualidade de vida dos moradores. A primeira cidade inteligente social do mundo, em construção no município de São Gonçalo do Amarante (CE), utiliza em seu projeto de infraestrutura soluções inteligentes para agregar no planejamento urbano, na arquitetura e no meio ambiente.

A iluminação pública da Smart City Laguna é toda com luminárias de LED. Entre as vantagens está a economia, com redução de cerca de 70% do consumo, comparado com as lâmpadas de vapor de mercúrio. Essa tecnologia é mais sustentável, requer menos manutenção e gera mais conforto visual e segurança, contribuindo para que os moradores possam ter um desempenho visual melhor do que acontece no ambiente.