SMART CITY LAGUNA: A Convivência Colaborativa e o Capital Humano - Smart City Laguna
Empty
16/06/2017 SMART CITY LAGUNA: A Convivência Colaborativa e o Capital Humano

foto pagina 13

O desenvolvimento econômico global está diariamente transformando o modo de vida das pessoas em todo o mundo, gerando uma nova demanda que reflete diretamente no aumento do déficit habitacional.

A necessidade da criação de novas moradias para todos impõe uma reflexão a respeito da forma e do conceito atual de cidade, sendo crucial evitar que erros passados se repitam.

É imprescindível usar essa nova oportunidade como um desafio para redesenhar nossas cidades em resposta às novas necessidades habitacionais.

A tecnologia é o valor agregado para otimizar a utilização de áreas urbanas que, sem um planejamento adequado, permanecerão sem alcançar o seu propósito básico. Hipoteticamente podemos pensar a cidade como uma máquina que contém um conjunto de hardware (a parte física da máquina) e software (a “mente” que comanda a máquina).

A cidade pode ser considerada um “hardware” que consiste em vias públicas, praças, quadras e parques, que precisam ser devidamente alocados para serem capazes de proporcionar lugares  verdadeiramente habitáveis.

Na Cidade Inteligente Social, os projetos e serviços serão gerenciados pelo PLANET APP, o aplicativo do Instituto PLANET que, agindo como o “software”, integrará a cidade aos seus cidadãos.

A PLATAFORMA TECNOLÓGICA

Para uma cidade ser inteligente, além de fornecer infraestrutura de alto padrão com uma compatível plataforma tecnológica, precisa ser promotora da criação de comunidades inteligentes. Assim, por meio de serviços, tecnologias e uma adequada  estruturação dos espaços, as pessoas poderão desenvolver um  relacionamento positivo com seu núcleo urbano e também com os demais habitantes do local. Esse novo espaço social promoverá:

  • a integração de cada indivíduo através de novas relações sociais;
  • formas de economia cooperativa, cidadania ativa e mutualismo;
  • a convivência colaborativa entre a população.

A CONVIVÊNCIA COLABORATIVA

A proposta de que as pessoas podem se organizar para conviver de forma colaborativa pode parecer totalmente óbvia.

Em todas as culturas, em todas as épocas, os seres humanos têm criado formas sociais de viver em comunidade e colaborar. Nossa sociedade mudou. A liberdade individual, a privacidade, a crise das famílias, a percepção do tempo insuficiente, o desemprego e a insegurança estimulam e geram o isolamento, assim como a perda da capacidade de colaborar.O resultado é uma vida solitária, isolada, muitas vezes imersa em um ambiente virtual.

Quando falamos de convivência colaborativa, estamos propondo um modelo de vida que envolva a casa, o bairro e a cidade, que partilhe espaços e serviços, que estimule a ajuda mútua, a amizade e a boa vizinhança.

A informação e educação dos cidadãos a respeito de como o estilo de vida pode afetar o meio ambiente, o bem-estar, a saúde e também a economia, são essenciais para a obtenção de resultados significativos em grande escala.

O principal investimento a ser feito é no CAPITAL HUMANO, para que todas as pessoas sejam capazes de satisfazer as suas necessidades da melhor forma possível.

Fonte: Livro do Instituto Planet: VIVER além de MORAR