Setor imobiliário comemora classe média mais confiante e com crédito - Smart City Laguna
Related content
22/02/2019 Setor imobiliário comemora classe média mais confiante e com crédito

O setor imobiliário está animado nesse início de 2019 por motivos evidentes: a classe média está de volta ao mercado graças à retomada do crédito, com recursos da poupança e o aumento expressivo de lançamentos mais caros em 2018.

Para se ter uma base, em 2018 o volume financiado para aquisição ou construção de imóveis interrompeu três anos consecutivos de queda e avançou 15%, segundo a Associação das Entidades de Crédito Imobiliário (Abecip). Agora já podemos entender o motivo para tanta animação no setor.

O grande impulso veio do salto de 33% nos valores financiados com recursos da poupança, o SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), para R$ 57,4 bilhões. O setor vinha sendo sustentado mais pela demanda no programa de habitação Minha Casa, Minha Vida (MCMV).

Já com recursos do FGTS, muito usado no MCMV, o crescimento em 2018 foi apenas de 2%, para R$ 60 bilhões —patamar de desembolso que segue em níveis históricos altos. As estimativas da associação, porém, é de queda de 5% neste ano.

“O FGTS foi fundamental nos anos de crise. Mas ele tem uma característica de fundo, de recursos limitados. O SBPE volta a ter o papel que sempre teve no mercado, de puxá-lo, ainda que sobre uma base baixa”, afirmou Gilberto Duarte de Abreu Filho, presidente da Abecip, ao divulgar os resultados do setor.

No auge, em 2014, os desembolsos do SBPE chegaram a R$ 113 bilhões e o financiamento imobiliário no banco subiu 5,8% em 2018. Para este ano, a Abecip projeta mais um crescimento de 20% do SBPE, a R$ 69 bilhões. “Essa é uma estimativa diante de um cenário intermediário de incerteza. Não sabemos se as reformas serão aprovadas”, comenta o presidente da associação.

Falando de números…
Os dados utilizados pela associação consideram crédito para a compra de imóveis prontos. Mas o crescimento expressivo de lançamentos voltados para classe média e a alta indica que incorporadores já antecipam alta da demanda também nos estandes de vendas. Lançamentos para essa faixa avançaram 54% nos 12 meses até novembro, último dado da Associação das Incorporadoras (Abrainc), na comparação com igual período de 2017. Os lançamentos dentro do MCMV subiram menos, 24%, mas ainda são 75% das novas unidades no mercado.

Além disso, a combinação de inflação e juros baixos, benéfica para o setor, que vigorou ao longo de 2018 deve perdurar. O juro médio do financiamento imobiliário chegou a 9,5% ao ano em dezembro, segundo o Banco Central —e pode ser próximo de 8% em grandes bancos, dependendo do cliente.

Fonte: Folha de SP.