O futuro chegou: navio movido a energia eólica - Smart City Laguna
Related content
28/11/2018 O futuro chegou: navio movido a energia eólica

A última novidade na área nos chegou através do site francês www.curioctopus.fr, que trouxe matéria sobre o barco Tesla, um porta contêineres para navegação interior (rios e canais). Os modelos em construção têm dimensões diferentes: os menores terão 52 metros de comprimento e 6,7 metros de largura, os maiores terão o dobro do comprimento (110 metros) e entre 11,45 e 14,2 metros de largura, enquanto sua capacidade de carga é de 24 a 280 contêineres.

Para dar apenas um exemplo, a rota Campine – Antuérpia (que também é feita por canais) poderá substituir os 23.000 caminhões na estrada a cada ano. Os navios cargueiros serão alimentados por baterias que serão alimentadas por energia solar e eólica através de acordos com empresas que operam perto dos portos onde os barcos serão atracados. Ali eles poderão ser recarregados e ter sua carga substituída.

Poluentes
Os grandes navios queimam óleo pesado, combustível que não é muito refinado, com alto teor de enxofre. Ele produz uma grande quantidade de óxido de enxofre e compostos de óxido de azoto quando é queimado.

O que quer dizer isso? Significa que a emissão de CO2 de um grande navio equivale a mais de 83 mil automóveis.

Um grande navio, igual 83 mil carros? Pois é. Como existem 100.000 navios, a frota naval mundial polui tanto quanto 830 milhões de automóveis.

É por isso que a novidade é bem-vinda. E outras novidades estão surgindo todos os dias.

Como a indústria naval marcha para a era dos rigorosos regulamentos ambientais e a economia de baixo carbono, companhias de navegação e organismos do setor estão gastando quantidade considerável de recursos para pesquisar a tecnologia do navio verde, viável; ela seria sucesso não só ao impulsionar navios, mas satisfaria a crescente exigência de normas ambientais.

Mais de 200 anos depois que o primeiro navio a vapor começou a cruzar o oceano, a energia eólica encontra o caminho de volta para as rotas marítimas.

Velas de rotor
A empresa de transporte marítimo global Maersk programa instalar “velas de rotor” para um de seus petroleiros, como uma forma de reduzir os custos de combustível e emissões de carbono. A empresa por trás da tecnologia, a finlandesa Norsepower diz que este é o primeiro sistema de retrofit de energia eólica num petroleiro.

Fonte: Mar Sem Fim/Estadão