Geração de emprego no Complexo do Pecém cresce 50,14% - Smart City Laguna
Related content
27/10/2017 Geração de emprego no Complexo do Pecém cresce 50,14%

JW8179

Apesar de ter sido impactado negativamente pela recessão econômica nos anos de 2015 e 2016, a região do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) apresentou resultados relacionados a geração de emprego e renda melhores do que a média nacional e estadual. Enquanto o número de empregos formais caiu 0,62% no Ceará e 3,1% no País, na passagem de 2014 para 2015, nos sete municípios que compõem o entorno do Cipp, houve crescimento de 4,23% no mesmo intervalo.

Entre 2010 e 2015, por exemplo, o número de vínculos na região passou de 48.969 para 73.525, um crescimento de 50,14%. Os dados são do estudo “O Mercado de Trabalho no Entorno do CIPP – Volume II: Dinâmica Recente”, apresentado na última quarta-feira, 25/10, pelo Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT).

Para o estudo, os sete municípios que compõem o entorno do Cipp são: Caucaia, São Gonçalo do Amarante, Paracuru, Paraipaba, Pentecoste, São Luis do Curu e Trairi. “Os dados mostram muito fortemente o avanço que houve em termos econômicos e sociais na região”, diz Mardônio Costa, analista de mercado de trabalho do Sistema Nacional de Empregos do IDT (Sine/IDT). “Tivemos, em 2015 e 2016, dois anos de forte retração econômica nacional e estadual, mas isso impactou de forma bem mais amena a região do Cipp”.

Impacto da CSP
Costa diz que com o fim das obras de Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) houve grande perda de empregos no setor da construção civil. No entanto, ele destaca que a operação da siderúrgica e de outras empresas acabou amenizando a perda de postos de trabalho no setor.

“Nesses dois anos de crise política e econômica, mesmo a nossa região mais promissora acabou passando por alguma dificuldade, disse Josbertini Clementino, secretário do Trabalho e Desenvolvimento Social do Ceará. “Além da geração de emprego, aquela área (do Pecém) está consolidando o trabalho qualificado”. O Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios de São Gonçalo do Amarante e Caucaia, onde o complexo está instalado, apresentou, entre 2010 e 2014, crescimento de 193% e de 90%, respectivamente. Considerando os sete municípios do entorno do Cipp, o crescimento foi de 103%, enquanto o do Estado foi de 58% no mesmo período. Já o PIB per capita em São Gonçalo do Amarante e Caucaia apresentou crescimento de 174% e 80%, respectivamente.

Em São Gonçalo o PIB per capita foi de R$ 32.389 em 2014. Em Caucaia foi de R$ 15.774. Já a média do Estado ficou em R$ 14.255.

Fonte: Diário do Nordeste.