Fortes e Ousadas conheça Zaha Hadid - Smart City Laguna
Related content
2/12/2019

Fortes e Ousadas conheça Zaha Hadid

“Seu sucesso não será determinado pelo seu gênero ou pela sua etnia, mas apenas pela abrangência dos seus sonhos”. Zaha Hadid foi a primeira mulher — e também a primeira pessoa árabe — a receber o “Pritzker”, o prêmio Nobel da Arquitetura. Lenda da arquitetura mundial e conhecida como a “rainha das curvas”, ela também é famosa por dar vida a projetos ousados em todo o mundo.

Zaha Hadid nasceu em 1950, em Bagdá, capital do Iraque, em uma época na qual a cidade florescia cultural e economicamente antes da longa guerra contra o Irã, iniciada na década de 80. Sua primeira formação foi em matemática, na Universidade Americana de Beirute, no Líbano. Porém, foi no ano de 1972, quando tinha 22 anos, que começou a entrar de cabeça no mundo da arquitetura, se matriculando na renomada Architectural Association School of Architecture’s, em Londres. Zaha teve a oportunidade de conhecer dois professores com quem trabalhou posteriormente e foram fundamentais, principalmente para os primeiros passos da arquiteta na profissão: Rem Koolhaas e Elia Zenghelis.

Mesmo com pouco tempo de formação profissional, Zaha Hadid venceu um concurso em Hong Kong (China), ao criar um projeto de construção de um clube de Kowloon. Apesar de ser um dos trabalhos mais significativos da carreira da arquiteta, o projeto nunca saiu do papel de fato.

Foi a primeira mulher a receber o “Pritzker”, a maior premiação da arquitetura internacional, e também a medalha de ouro do Royal Institute of British Architects. Por muitas vezes, os projetos de Zaha Hadid eram cercados de polêmicas por terem custos muito elevados. Um exemplo disso foi o projeto futurístico que criou para a Olimpíada de 2020, em Tóquio: o projeto do estádio foi orçado em 2 bilhões de dólares. No entanto, a organização do evento decidiu por um desenho mais simples. Zaha faleceu precocemente, em 2016, aos 65 anos, e deixou um legado espetacular no mundo arquitetônico.

Curiosidade

No Dia das Mulheres de 2016, poucas semanas antes da sua morte, a BBC pediu a uma série de mulheres prestigiadas que escrevessem cartas para suas versões mais jovens. Zaha escreveu: “Seu sucesso não será determinado pelo seu gênero ou pela sua etnia, mas apenas pela abrangência dos seus sonhos e seu trabalho para alcançá-los. Sempre acredite no seu trabalho — ele vai conduzi-la através de qualquer situação difícil, mas aprenda a ajustar seu modo de pensar uma vez ou outra. Nunca desista.”