Eficiência energética é trunfo das cidades inteligentes - Smart City Laguna
Related content
27/11/2018 Eficiência energética é trunfo das cidades inteligentes

As redes inteligentes de energia elétrica, smart grids, estão bem difundidas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, da Ásia e até do Oriente Médio. Empresas de distribuição têm investido na aquisição de medidores eletrônicos inteligentes, em automação e em plataformas de comunicação de dados, a fim de otimizar a operação de suas redes elétricas, tornando os serviços oferecidos por elas mais eficiente e possibilitando aos clientes serem mais participativos no consumo de sua energia.

Um dos problemas para a difusão das redes inteligentes no Brasil é o seu alto custo de implantação. Neste sentido, ganha espaço no Brasil as smart cities que utilizam as redes inteligentes para a disponibilização de serviços de utilidade pública. Até 2030, o consumo de energia nas cidades brasileiras crescerá mais rápido do que o aumento da população. Até essa data, a população urbana atingirá 22 milhões de pessoas, um aumento de 12%, mas o consumo de eletricidade nos edifícios crescerá 33% até 2030, alcançando 410 TWh, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Também conhecidas como “smart cities”, as cidades inteligentes são as que conseguem se desenvolver economicamente ao mesmo tempo em que aumentam a qualidade de vida dos habitantes ao gerar eficiência nas operações urbanas.

Neste cenário, as prefeituras, que são responsáveis pela administração da iluminação pública, precisam de organização, gestão e planejamento. Um exemplo dos benefícios que a eficiência energética proporcionam são os resultados da cidade de Buenos Aires, que alterou mais de 75% de sua iluminação pública para lâmpadas LED conectadas ao sistema de gerenciamento de iluminação pública CityTouch. Como resultado dessas mudanças, Buenos Aires pôde melhorar sua eficiência operacional e economizar mais de 50% em energia.