Cidades inteligentes refletem uma sociedade inteligente - Smart City Laguna
Related content
28/11/2018 Cidades inteligentes refletem uma sociedade inteligente

 

As novas tecnologias de informação e comunicação das chamadas ‘smart cities’ precisam tornar-se parte indissociável das políticas públicas urbanas. Cidades inteligentes, do futuro, conectadas, habitáveis e sustentáveis apontam características ligadas as novas tecnologias de informação e a sustentabilidade pouco avançam em direção ao planejamento e à gestão das políticas públicas de caráter urbano.

Não há dúvida de que o uso de tais tecnologias é importante para a modernização dos sistemas urbanos, mas os esforços de inovação devem estar contextualizados e inseridos no desenvolvimento e implantação de políticas públicas urbanas mais amplas. Uma cidade somente poderá ser considerada “inteligente” na medida em que a sociedade, as instituições públicas e o mercado sejam mais inteligentes ou mais eficientes, mais prósperos, justos e democráticos.

O conceito de “smart cities” não pode ser um fim em si mesmo, mas deve abarcar sistemas, instrumentos e indicadores, aliados às práticas de governo aberto com transparência, participação social e prestação de contas, à Nova Agenda Urbana e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, por exemplo, para atingir as metas que os diversos planos propõem.

Cidades inteligentes são uma realidade que pode até parecer um pouco distante, mas que evolui rapidamente e desponta-se como um caminho a ser seguido no desenvolvimento de centros urbanos em todo o mundo.

Existem, inclusive, alguns exemplos de cidades inteligentes no Brasil, que podem surpreender pela criatividade das soluções para uma utilização mais eficiente dos recursos disponíveis, reduzindo o impacto das nossas vidas no meio ambiente por meio da transformação digital.

Isso as tornam cidades mais eficientes, automatizadas, sustentáveis e, consequentemente, agradáveis para se viver. É um modo de incorporar as questões importantes para criar uma cidade dinâmica e estrategicamente planejada.

As áreas prioritárias se desmembram em diversos aspectos importantes no que se refere à construção de cidades com maior qualidade de vida. Uma Universidade de Viena na Áustria desenvolveu um Modelo Europeu de Cidade Inteligente. Ele pode servir como um incentivo para avaliarmos o quanto nossas cidades se enquadram nos aspectos descritos.