“CE é o estado do NE que mais pode atrair investimentos”, diz embaixador da Coreia do Sul - Smart City Laguna
Related content
26/10/2017 “CE é o estado do NE que mais pode atrair investimentos”, diz embaixador da Coreia do Sul

Embaixador da Coreia

Em entrevista ao Diário do Nordeste, o embaixador da Coreia do Sul no Brasil, Jeong Gwan Lee, falou sobre o potencial do Ceará para receber aportes sul-coreanos.

Além da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que conta com investimentos coreanos (Dongkuk e Posco), quais outros tipos de investimentos da Coreia do Sul podemos ter para o Ceará?
Uma das áreas que nós achamos que pode receber muito investimento é a de energias renováveis, incluindo energia eólica e solar. A Coreia do Sul já está muito ciente do potencial dessa área, que pode ganhar muitos investimentos.

Alguma dessas empresas sul-coreana já manifestou interesse em investir no Ceará?
No fim do ano passado, nós preparamos um seminário sobre energia solar (em São Paulo) com participação de empresas coreanas. Não temos uma empresa concretamente, mas há as empresas que participaram do seminário e elas são muito fortes em produzir equipamentos, fazer instalações para energia solar.

Quais outros atrativos o Ceará apresenta para investidores da Coreia do Sul?
Infraestrutura é uma área muito importante. Já visitei 19 estados no Brasil, e a demanda para essa área é muito grande. Acho que aqui há muitas demandas aqui também, nas áreas ferroviária, rodoviária, portuária e aeroportuária. E também dentro das cidades há demanda por luz e reciclagem.

Nós temos única Zona de Processamento de Exportação (ZPE) em atividade no Brasil. Como é que a Coreia do Sul avalia o diferencial dessa área na atração de investimentos para o Estado?
A ZPE aqui do Ceará é considerada um sucesso, devido aos benefícios (incentivos fiscais) que ela oferece, além da localização dela. A parte logística também é muito bem avaliada. Então, não só empresas coreanas como de outros países devem considerar essa uma área muito boa para investimentos. Também acho que apoio do governador Camilo Santana é muito forte, é muito importante nesse aspecto.

A Coreia do Sul importa do Ceará, principalmente, itens como calçados, ceras vegetais, sucos e peixes, além de ferro e aço. Quais outros produtos cearenses podem ganhar o mercado sul-coreano?
Essa é uma questão mais detalhada. O que eu posso dizer é que, desde 2012, as importações que a Coreia do Sul fez do Brasil vêm diminuindo. A partir deste ano, pela primeira vez eu vi um crescimento dessas importações. E com certeza entre o Estado do Ceará e a Coreia do Sul vai haver esse crescimento a partir de agora, por causa dessa recuperação na economia do País. Estamos tentando construir um acordo comercial entre o Brasil e a Coreia do Sul que é muito importante. Quanto menos taxas nós tivermos, mais nós poderemos importar do Ceará e fazer com que os produtos do Ceará cresçam no mercado coreano.

O que mais do Ceará pode aproveitado pela Coreia?
Com as viagens que eu fiz no Nordeste, eu vi que o Nordeste tem potencial para atrair empresas coreanas, mas o problema é que elas não sabem muito, não tem muitas informações suficientes para verem que o Estado do Ceará é uma área que pode receber uma atenção especial. Esse é o Estado mais importante do Nordeste, é o que tem mais potencial para atrair investimentos sul-coreanos. Um fator muito importante é a localização. O Ceará nós sentimos que ele está mais perto da Ásia, e isso faz com que nós tenhamos mais interesse por esse Estado.

Fonte: Diário do Nordeste.