Água: tecnologias evitam desperdício - Smart City Laguna
Related content
28/11/2018 Água: tecnologias evitam desperdício

O Brasil passou por um momento de estiagem muito grande em 2015, principalmente o estado de São Paulo. Em 2016, os níveis voltaram a subir e quase não se fala de novas crises hídricas. Muitos brasileiros acabam se esquecendo da importância de poupar água. Para isso, existem soluções que combinam inteligência artificial, internet das coisas e big data para detectar onde uma rede de distribuição de água está falhando e antecipar crises e desperdícios.

Os benefícios vão desde a economia diária até a prevenção de grandes crises na distribuição da rede. O novo conceito de “águas inteligentes” é capaz de coletar informações importantes utilizando sensores localizados ao longo da rede de água. Há também ferramentas que podem ser instaladas na rede de distribuição de água que integram essas soluções, tais como tubos inteligentes que proporcionam avaliações de risco em tempo real, evitando vazamentos de água, mesmo antes de ocorrerem.

O desperdício de água é uma questão global como mostra um estudo do Banco Mundial. Por esse motivo, a tecnologia é cada vez mais importante em todos os setores básicos: abastecimento de água, energia, agricultura e indústria. Estamos caminhando para um mundo que será totalmente conectado, com soluções e inovações para evitar o desperdício dos recursos.

A perda excessiva do recurso é séria e envolve vários setores da sociedade, desde a agricultura, indústrias, comércios e também o uso doméstico. Por isso, expressões e palavras como uso consciente, economia de água e sustentabilidade fazem cada vez mais parte do universo de ambientalistas, pessoas comuns e até de empresas.

Uma solução que vem crescendo bastante nos últimos anos é a dessalinização. Um processo fisioquímico que retira o sal da água, tornando-a doce e ideal para o consumo. O método mais comum utilizado nesse processo funciona como uma destilação em grande escala, a água salgada é colocada em um tanque com fundo preto e teto de vidro transparente, que permite que o calor do sol evapore a água. O vapor passa por um resfriamento e se converte em líquido por condensação tornando-se água no estado puro. Por fim, será recolhida por canaletas e então armazenada em outro tanque para consumo.

Outro processo bastante utilizado é conhecido como osmose reversa. Diferentemente da osmose natural, onde a passagem de uma substância pura para uma solução é feita através de uma membrana semipermeável, como o próprio nome diz, a osmose reversa ocorre ao contrário, da solução para água pura. O processo consiste em realizar a passagem da água salgada por membranas de fibra oca. Estas fibras contêm poros microscópicos e todo o sal e impurezas presentes na água ficam retidas nestes pequenos poros.